Liberty Petroleum assina acordo com o governo da Somália para garantir três blocos petrolíferos offshore

A Liberty Petroleum Corporation anunciou a assinatura de três Acordos de Partilha de Produção (“PSA”) entre o Governo Federal da Somália e a empresa afiliada da Liberty, Petro Quest Africa Corporation. Os três contratos (Blocos 131, 190 e 206) foram assinados numa cerimónia que contou com a presença de Abdirizak Omar Mohamed, Ministro do Petróleo e Recursos Minerais, Abdulkadir Aden Mohamud, CEO da Autoridade do Petróleo da Somália e Lane Franks, CEO da Liberty.

Após a recente descoberta de petróleo e gás comercial no Quénia, Uganda, Tanzânia e Moçambique, a indústria petrolífera reavaliou a prospectividade petrolífera da África Oriental. A Liberty identificou pelo menos quatro intervalos potenciais de rochas geradoras que se espera que estejam presentes com base em resultados de exploração recentes na África Oriental. Em 2012, foram adquiridas várias pesquisas sísmicas regionais 2D offshore. A interpretação destas pesquisas sísmicas identificou uma variedade de geometrias de captura estruturais e estratigráficas muito grandes, algumas das quais parecem ter atributos sísmicos que podem ser indicativos da presença de hidrocarbonetos. Um relatório do Governo dos EUA indica que a Somália pode ter pelo menos 30 mil milhões de barris de reservas de petróleo e gás.

A Turquia assinou recentemente um acordo de cooperação histórico com a Somália em 8 de março de 2024 relativo à exploração e desenvolvimento de petróleo offshore e gás natural. A Turquia tem anos de experiência na exploração de energia offshore desde que descobriu gás em 2020 no Mar Negro.

Cada um dos PSA tem um prazo inicial de 5 anos durante os quais a Liberty avaliará os dados sísmicos existentes com vista a áreas de alta classificação para adquirir pesquisas sísmicas 3D. Sujeito aos resultados da sísmica 3D, há margem para realizar perfurações durante o período inicial da obrigação do programa de trabalho e durante os dois períodos de renovação.

Sobre os Blocos 131, 190 e 206

O Bloco 131 compreende 5.000 km2 no flanco nordeste do Alto Médio Somália. Estão presentes dois depósitos de petróleo, um depósito de petróleo do Jurássico inferior e um depósito de petróleo carbonatado com idade média a superior do Jurássico, com características mapeadas sismicamente com dezenas de quilômetros de comprimento. As armadilhas estratigráficas que compõem os recifes são mapeáveis, assim como grandes sistemas de armadilhas combinadas de 100 km2 sobrepostos por um espesso xisto interpretado do Jurássico Superior.

O Bloco 190 compreende 4.978 km2 na margem norte da Bacia Juba-Lamu. Três importantes depósitos petrolíferos incluem uma sequência de margem passiva de folhelhos e arenitos de idade terciária, depositados na foz de rios e deltas anteriores no Cinturão de Impulso de Baraawe. Tanto um roll-over do Cretáceo superior quanto do inferior são claramente visualizados na sísmica. Na margem sudeste do bloco, os sistemas de leques em águas profundas do Cretáceo médio a superior são claramente visualizados e podem formar armadilhas estratigráficas e combinadas.

O Bloco 206 compreende 5.000 km2 na porção centro-nordeste da Bacia de Juba. Estão presentes dois jogos petrolíferos principais, um dominado pela compressão estrutural e um segundo jogo estratigráfico, compreendendo leques lobados do fundo da bacia da idade Cretácea, não muito diferentes daqueles que acolhem as supergigantes descobertas de petróleo ao largo da costa da Namíbia, como Venus-1X (2022) e Graff-1X (2022).

O CEO da Liberty Petroleum Corporation, Lane Franks, comentou – “Depois de mais de 10 anos de diálogo positivo e frutífero com o governo da Somália, estamos honrados em assinar estes três contratos de exploração. É verdadeiramente uma conquista coletiva de natureza histórica. Estamos conscientes da responsabilidade que agora recai sobre os nossos ombros de explorar e, esperançosamente, desenvolver os recursos petrolíferos dentro destes blocos de uma forma que proporcione o máximo benefício ao povo da Somália”.

Source: Liberty Petroleum Corporation

Leave a Reply