Chevron e o governo de Angola anunciam a colaboração em oportunidades de baixo carbono

A Cabinda Gulf Oil Company Limited (CABGOC), subsidiária da Chevron em Angola, recebeu em Luanda a assinatura de um Memorando de Entendimento (MOU) entre a Chevron New Energies, uma divisão da Chevron U.S.A. Inc., e o Governo de Angola para explorar potenciais oportunidades de negócio de baixo carbono em Angola.

A Chevron e o Governo de Angola planeiam avaliar vários projetos relacionados com compensações de carbono baseadas na natureza e tecnológicas, biocombustíveis de baixa intensidade carbónica e produtos como hidrogénio, captura e armazenamento de carbono e a criação de um centro de excelência regional para incentivar e atrair investimentos de baixo carbono.

“Estamos entusiasmados por dar continuidade à história operacional de quase 70 anos da Chevron em Angola. Este memorando de entendimento demonstra o compromisso da Chevron e de Angola em continuar a identificar oportunidades de baixo carbono através da colaboração e parceria”, disse Jeff Gustavson, Presidente da Chevron New Energies. “Por meio de nosso trabalho aqui, esperamos fornecer energia acessível, confiável e cada vez mais limpa e ajudar as indústrias e os clientes que usam nossos produtos a avançar em suas metas de baixo carbono.”

A Chevron New Energies é uma divisão da Chevron U.S.A. Inc., criada em 2021 para se concentrar na criação de linhas de negócios competitivas para fornecer soluções integradas e de baixo carbono em toda a cadeia de valor, bem como promover soluções de baixo carbono e escalar negócios em hidrogênio; captura, utilização e armazenamento de carbono; e compensações e oportunidades emergentes de baixo carbono. A Chevron New Energies e a CABGOC estão a combinar sinergias em colaboração com o Governo de Angola para criar oportunidades e lançar uma iniciativa regional de “expansão energética” focada em permitir o crescimento económico sustentável, o acesso a fontes de energia mais limpas e fiáveis e a sustentabilidade ambiental.

“A Chevron tem sido um grande player na África há mais de um século e Angola é um país-chave para nós. Fomos uma das primeiras empresas dos EUA a entrar no país e temos muito orgulho em continuar a ser um parceiro firme e resiliente. No ano passado, renovamos a concessão do Bloco 0 por 20 anos, até 2050”, disse Clay Neff, presidente da Chevron International Exploration and Production. “Como um parceiro de longo prazo, continuamos comprometidos em apoiar Angola no desenvolvimento de seus recursos energéticos para o benefício de seu povo e da região, à medida que avançamos para um futuro de baixo carbono.”

Na 26.ª Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas (COP26), o Presidente angolano, João Lourenço, comprometeu-se a aumentar a capacidade de energia renovável de Angola para 70% da matriz energética do país até 2025. No âmbito da sua Contribuição Nacional Determinada (NDC) revista, Angola antecipou o ano-alvo de redução de emissões de 2030 na sua primeira NDC para 2025, com o país a pretender reduzir as emissões até 14% em comparação com o habitual, com mais 10% condicionado a apoios.

“Estamos entusiasmados por abrir mais um capítulo para aumentar a nossa parceria com o Governo de Angola na diversificação e desenvolvimento da expansão energética de Angola”, disse Billy Lacobie, Diretor Geral da Unidade de Negócios Estratégicos da África Austral. “Este Memorando de Entendimento cria uma oportunidade para a Chevron ampliar nossa presença no país para fornecer energia confiável, acessível e de baixo carbono e identificar maneiras de reduzir a pobreza energética, abordar o impacto climático e melhorar a qualidade de vida das comunidades locais.”

A CABGOC opera duas concessões em Angola – Bloco 0 e 14. A CABGOC está entre os maiores produtores de petróleo do país, com uma produção média diária de 70.000 barris de líquidos e 259 milhões de pés cúbicos de gás natural em 2022 e mais de 70% da força de trabalho composta por cidadãos angolanos. Ao longo dos anos, a CABGOC e os parceiros dos Blocos 0 e 14 investiram mais de 250 milhões de dólares no desenvolvimento comunitário nas 18 províncias de Angola.

Source: Chevron






Leave a Reply