Banco Africano de Desenvolvimento concede subvenção de 27 milhões de dólares para melhorar os serviços de saneamento em Chimoio

O Conselho de Administração do Grupo Banco Africano de Desenvolvimento aprovou uma subvenção de 27 milhões de dólares a Moçambique ao abrigo do Pilar I do Mecanismo de Apoio à Transição. O apoio financeiro do Grupo Banco é para a implementação do Projeto de Saneamento Urbano Inclusivo em Chimoio, a quinta maior cidade de Moçambique, com uma população de mais de 400.000 habitantes.

O objetivo do projeto é possibilitar que a população de Chimoio tenha acesso a serviços de saneamento melhorados. O projeto ajudará gradualmente a reduzir a incidência de doenças de veiculação hídrica e a reduzir a poluição da terra e dos rios, ao mesmo tempo em que promove negócios e a criação de valor ao longo da cadeia de serviços de saneamento, incluindo o reuso de água e lodo tratado para fins agrícolas.

A população de Chimoio poderá então desfrutar de instalações sanitárias de melhor qualidade e resistentes ao clima, que processam com segurança as suas águas residuais e lamas fecais através de soluções baseadas na natureza.

O projeto prevê a construção de vários itens de infraestrutura de saneamento: 76 quilômetros de esgotos e interceptores, duas estações de bombeamento, uma estação de tratamento de esgoto baseada na natureza, incluindo uma unidade de tratamento de lodo fecal, 30 instalações públicas de saneamento e apoio a membros vulneráveis da comunidade com instalações de saneamento doméstico, incluindo campanhas de promoção de higiene e saneamento.

O projeto também fornecerá assistência técnica para aumentar a capacidade do Município de Chimoio no que diz respeito à gestão das instalações e à prestação de serviços de saneamento sustentável envolvendo pequenas empresas ou operadoras de saneamento.

A área alvo do projeto é o município de Chimoio, capital da província de Manica. Chimoio é um centro económico e logístico no centro do país, a 1.100 quilómetros a norte da capital nacional, Maputo, e a 95 quilómetros da fronteira com o Zimbabué. Está no corredor de transportes da Beira que serve a região, e é um importante hub para o transporte ferroviário, rodoviário e aéreo.

Source: afdb





Leave a Reply