Baker Hughes recebe Contrato Significativo de Tecnologia de Gás para apoiar o Projeto BM-C-33 da Equinor no Brasil

A Baker Hughes, uma empresa de tecnologia de energia, anunciou que recebeu um pedido significativo a ser registrado no segundo trimestre de 2023 pela MODEC para fornecer equipamentos de tecnologia de gás para o projeto BM-C-33, no pré-sal brasileiro na Área de Campos . O projeto é desenvolvido pela Equinor com os parceiros Repsol Sinopec Brasil e Petrobras.

O pedido inclui equipamentos de turbomáquinas – incluindo geradores de turbina a gás LM2500 e tecnologia de gerador de turbina a vapor – para uma solução de geração de energia de ciclo combinado a ser instalada no FPSO BM-C-33 para reduzir a pegada de carbono do projeto, bem como engenharia de design de processo e equilíbrio da planta.

“Este pedido é uma prova de nosso histórico estabelecido quando se trata de tecnologia para embarcações FPSO. Também fortalece nosso relacionamento com a MODEC e é um marco muito importante em nossa colaboração com a Equinor e seus parceiros”, disse Ganesh Ramaswamy, vice-presidente executivo de Tecnologia Industrial e Energética da Baker Hughes. “Estamos honrados que nossas soluções comprovadas contribuirão para reduzir a pegada de carbono do projeto, alinhando-se com a missão da Baker Hughes de levar a energia adiante, tornando-a mais sustentável e segura.”

Os ciclos combinados são uma tendência importante na indústria offshore de petróleo e gás, pois permitem a redução das emissões globais de carbono do FPSO. Neste projeto, a Baker Hughes espera uma redução de mais de 20% nas emissões de carbono em relação a FPSOs de ciclo aberto semelhantes com a mesma demanda de energia. Este é o segundo projeto de FPSO de geração de energia de ciclo combinado desenvolvido pela Baker Hughes para MODEC e Equinor em águas profundas brasileiras, após a adjudicação do FPSO de Bacalhau em 2020.

Para o projeto BM-C-33, a Equinor e seus parceiros esperam que o FPSO seja capaz de atingir uma meta de intensidade de carbono inferior a 6 kg/barril de óleo equivalente (BOE) durante a vida útil do campo, enquanto a média global da indústria é de 16 kg de CO2 por barril.

Source: Baker Hughes


Leave a Reply