DMRE da África do Sul assina o maior projeto de energia híbrida da África

O Departamento de Recursos Minerais e Energia da África do Sul selecionou a empresa de desenvolvimento de energia renovável Oya Energy como um dos licitantes preferidos que desenvolverá o maior projeto de energia híbrida da África. Localizada perto de Matjiesfontein, a instalação combinará armazenamento de bateria solar fotovoltaica (PV), eólica e de íon de lítio para produzir 128 MW de energia por ano, e será de propriedade e operada pela Oya Energy. O prazo estimado para conclusão é de 18 meses. A Oya Energy Hybrid Facility foi selecionada no âmbito do Programa de Aquisição Independente de Produtores de Energia de Mitigação de Riscos da África do Sul (RMIPPPP). O desenvolvedor do projeto G7 Renewable Energies, com sede na Cidade do Cabo, atuará como o desenvolvedor. “As baterias de lítio são a tecnologia de armazenamento em massa líder em todo o mundo. O RMIPPPP também tem um foco particular em tecnologia comprovada, razão pela qual escolhemos íon-lítio como nossa tecnologia de armazenamento”, disse o Dr. Killian Hagemann, cofundador da G7 Renewable Energies e Diretor da Oya Energy.


A planta híbrida transmitirá energia para a rede como e quando necessário. De acordo com Hagemann, a usina só pode despachar energia entre 05:00 e 21:30, de acordo com as regulamentações governamentais, e o excesso de energia será armazenado em baterias de lítio para complementar a produção eólica e fotovoltaica durante as horas de queda. “Uma vantagem dos sistemas híbridos de energia renovável está em sua capacidade de combinar duas das tecnologias de energia renovável de crescimento mais rápido. Os sistemas híbridos também podem aproveitar a natureza complementar da energia solar fotovoltaica, que produz energia durante o dia, e eólica, que produz mais de sua energia à noite “, acrescentou Ntombifuthi Ntuli, CEO da South African Wind Energy Association. O RMIPPPP identificou oito projetos que devem garantir financiamento e trabalhar na redução da pressão na rede nacional a partir de agosto de 2022. O Programa visa contribuir com aproximadamente R45 bilhões (ou $ 2,99 bilhões) para a economia e adquirir cerca de 2.000 MW.


Source: africaoilandpower

Leave a Reply