UGANDA E TANZÂNIA: ACORDOS FINAIS PARA O PROJETO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS DO LAGO ALBERT

Durante uma cerimónia de assinatura realizada ontem em Entebbe, na presença de Yoweri Museveni, Presidente da República do Uganda, Samia Suluhu Hassan, Presidente da República Unida da Tanzânia, Patrick Pouyanné, Presidente e CEO da Total, bem como representantes da China National Offshore Oil Corporation (CNOOC), da Uganda National Oil Company (UNOC) e da Tanzania Petroleum Development Corporation (TPDC), os parceiros do projeto de desenvolvimento do Lago Albert concluíram os acordos finais necessários para lançar este grande projeto.

O desenvolvimento do Lago Albert engloba os projetos petrolíferos a montante da Tilenga e kingfisher no Uganda e a construção do Oleoduto De Crude da África Oriental (EACOP) no Uganda e na Tanzânia. O projeto Tilenga, operado pela Total, e o projeto Kingfisher, operado pela CNOOC, deverão entregar uma produção combinada de 230.000 barris por dia no planalto. Os parceiros a montante são total (56,67%), CNOOC (28,33%) e UNOC (15%). A produção será transportada dos campos petrolíferos do Uganda para o porto de Tanga, na Tanzânia, através do oleoduto transfronteiriço da EACOP, com a Total, UNOC, TPDC e CNOOC como acionistas.

Os acordos celebrados ontem incluem o Acordo de Acionistas da EACOP e o Acordo Tarifário e de Transporte entre a EACOP e os carregadores petrolíferos do Lago Albert.

Estes acordos abrem caminho para o início do projeto de desenvolvimento do Lago Albert. Os principais contratos de engenharia, aquisição e construção serão adjudicados em breve, e a construção começará. A primeira exportação de petróleo está prevista para o início de 2025.

Todos os parceiros estão empenhados em implementar estes projetos de forma exemplar e tendo em conta as questões de biodiversidade e ambiente, bem como os direitos das comunidades locais e dentro dos rigorosos padrões de desempenho ambiental e social da International Finance Corporation (IFC).

“O projeto de desenvolvimento da Tilenga e do oleoduto EACOP são grandes projetos para a Total e são consistentes com a nossa estratégia de focar em projetos petrolíferos de baixo breakeven, reduzindo a intensidade média de carbono do portefólio a montante do Grupo. Estes projetos vão criar um valor significativo no país tanto para o Uganda como para a Tanzânia”, afirmou Patrick Pouyanné, Presidente e Diretor Executivo da Total. “A Total está também a ter em conta o contexto ambiental sensível e as participações sociais destes projetos em terra. O nosso compromisso é implementar estes projetos de forma exemplar e totalmente transparente”.

Source: www.total.com

Leave a Reply