Projeto de gás de Moçambique da OVL, OIL vincula dívida de US $ 14,9 bilhões para o projeto de GNL

A Oil India anuncia que o consórcio Rovuma Offshore Area 1 (Area-1), liderado pela Total, confirma a finalização do financiamento da dívida sênior de GNL de Moçambique de US $ 14,9 bilhões para o projeto de GNL de dois trens em 15 de julho de 2020″, disse a empresa.

As empresas indianas detêm um total de 30% da Área-1, que possui cerca de 75 trilhões de pés cúbicos de recursos recuperáveis ​​de gás.
Nova Délhi: As empresas estatais indianas de energia OVL e OIL e seus parceiros estrangeiros garantiram US $ 14,9 bilhões em dívidas para financiar parcialmente seu projeto de US $ 24,1 bilhões em gás natural liquefeito (GNL) em Moçambique. Liderado pela gigante francesa de energia Total, o projeto prevê a produção de 12,88 milhões de toneladas por ano de GNL a partir do gás descoberto na Área 1, na costa de Moçambique.

“Oil India NSE -0,92% Ltd, uma empresa nacional de petróleo da Índia, anuncia que o consórcio Rovuma Offshore Area 1 (Area-1), liderado pela Total, confirma a finalização do financiamento da dívida sênior de GNL de Moçambique de US $ 14,9 bilhões para os dois trens Projeto de GNL em 15 de julho de 2020 “, disse a empresa em um documento regulamentar na quinta-feira.

As empresas indianas detêm um total de 30% da Área-1, que possui cerca de 75 trilhões de pés cúbicos de recursos recuperáveis ​​de gás.

O consórcio que opera a Área-1 aprovou a decisão final de investimento (FID) em 18 de junho de 2019, informou a Oil India Ltd (OIL).

O custo total é estimado em US $ 24,1 bilhões e deve ser financiado por meio de uma combinação de dívida (US $ 15,8 bilhões), patrimônio líquido (US $ 7,4 bilhões) e fluxo de caixa das operações (US $ 0,8 bilhão).

O financiamento de dívida sênior compreende uma linha de empréstimo com o Banco Africano de Desenvolvimento, empréstimos de bancos comerciais e crédito de outras instituições financeiras, disse o OIL, acrescentando que o projeto espera alcançar um fechamento financeiro no quarto trimestre deste ano.

O projeto envolve a concepção, construção e operação de uma planta integrada de Gás Natural Liquefeito (GNL), incluindo extração offshore, tubulação subaquática, planta de processamento onshore e instalações auxiliares de apoio.

Terá uma capacidade de 12,88 milhões de toneladas por ano de GNL e fornecerá gás do campo de Golfinho-Atum (GA) na Área-1, localizado a 40 km da costa de Moçambique.

O projeto fornecerá gás para exportação de GNL (principalmente para Europa e Ásia) e consumo doméstico.

A ONGC Videsh Ltd (OVL), o braço de investimento estrangeiro da estatal Oil and Natural Gas Corp (ONGC), detém 16% de participação na Área-1, enquanto a Bharat Petroleum Corp Ltd (BPCL) possui 10%. A Oil India Ltd possui 4% de participação.

A Total é a operadora do projeto, com 26,5% de participação, enquanto a Mitsui do Japão, 20%. A PTT Exploration da Tailândia detém 8,5% e a empresa de petróleo e gás de Moçambique, ENH, os 15% restantes de ações no projeto.

Cerca de 11,14 milhões de toneladas por ano de GNL, ou 86% da capacidade de produção, já foram vendidas para empresas do Japão, Índia, China, Holanda, Indonésia e França.

O projeto da Área 1 deve começar em 2024 e atingir a produção total até 2025.

Economic times

Leave a Reply