Egito lança plano petroquímico de US $ 7,5 bilhões em Ain Sokhna O Egito assinou um acordo para uma grande planta petroquímica em Ain Sokhna, com um investimento de US $ 7,5 bilhões.

O primeiro-ministro egípcio, Mostafa Madbouly, compareceu à cerimônia de assinatura realizada hoje. O diretor administrativo da Red Sea Refining & Petrochemicals Co., Mohamed Ali Abbadi, e Abdel Nasser Rafai, da Zona Econômica do Canal de Suez, assinaram o acordo.

Estiveram presentes o presidente da Zona Econômica do Canal de Suez, Yehia Zaki, e o Ministro do Petróleo e Recursos Minerais Tarek El Molla.

Um comunicado do governo egípcio disse que o complexo visa produzir uma gama de produtos de valor agregado, além de servir como uma refinaria. Os produtos devem incluir polietileno, polipropileno e poliéster, além de várias outras matérias-primas.

O complexo visa atender às necessidades locais e reduzir a necessidade de importação de produtos. Além disso, pode oferecer oportunidades de exportação. A planta terá 3,56 milhões de metros quadrados.
El Molla disse que o complexo irá desenvolver as indústrias de refino e petroquímica do país e é um pilar do plano do ministério. Reduzir as importações, disse ele, melhoraria a balança comercial do país e ofereceria novas oportunidades de emprego direto e indireto.

Zaki disse que a petroquímica criaria 15.000 empregos para os egípcios.

O plano do complexo petroquímico surge logo após o lançamento de novos planos para o desenvolvimento do Porto Ain Sokhna. A Zona Econômica do Canal de Suez assinou um acordo em 22 de abril para expandir as instalações portuárias.

O plano é conectar o porto a um novo trem de alta velocidade, de El Alamein, no Mar Mediterrâneo. A Siemens Mobility assinou o plano de trens, com a Orascom Construction.

Estão em curso desenvolvimentos para tornar o porto uma plataforma global para a petroquímica, disse Zaki. Servirá como um centro logístico para a região e a África.

Source: www.energyvoice.com

Leave a Reply